quinta-feira, 2 de abril de 2009

O corpo delas hoje...

Falar do próprio corpo. Na atualidade as coisas mudam, o corpo feminino destaca-se por ser estratégico para o jogo geográfico. Há uma elaboração de novos valores sobre o corpo.

Estamos em uma fase de melhora das condições de saúde da mulher. Novas práticas corporais. Revistas femininas desenvolvendo um ideal de beleza específico. A luta pela autonomia de seu corpo torna-se a grande bandeira do feminismo contemporâneo.

Na contemporaneidade, a luta feminista passa por etapas. Pioneiras ousam desafiar as proibições e quebrar tabus. George Sand, Colette e Virgínia Woolf são algumas delas.

Entre 1900/1920 as mulheres se atrevem a outro discurso acerca do corpo feminino. Surgem as primeiras enfermeiras ou médicas mais atentas aos problemas das mulheres. Um exemplo é a Dra. Madeleine Pelletier que em 1926 defendeu o direito de aborto.

Em pleno baby boom (1949), Simone de Beauvoir publica O segundo sexo, introduzindo a idéia de "gênero" e abrindo caminho para o feminismo contemporâneo.

Os neomalthusianos, entre eles mulheres como Jeanne Humbert, Nellly Roussel, Madeleine Pelletier, exortam as classes populares a limitar a prole, propondo-lhes métodos contraceptivos.

Entre as guerras acontece o Birth control, principalmente nos EUA e na Inglaterra. Em 1956 inicia-se o planejamento familiar na França e em 1961 surge a pílula anticoncepcional.

A Lei Neuwirth, na França, em 1967, legaliza o uso de contraceptivos e revoga a lei de 1920. A Lei Veil, na França, em 1975, legalizou o aborto. Nos anos seguintes o estupro foi declarado crime, surgem leis sobre o assédio sexual, repressão do incesto e associações contra as violências feitas às mulheres.

O silêncio vencido. Uma forma de revolução, no entanto, não significa que tudo esteja resolvido. Um pesado silêncio continua recobrindo os sofrimentos do corpo da mulher no mundo.

3 comentários:

Cileninha disse...

Vanuza, parabéns!! Me faltam aqui palavras para expressar toda admiração, respeito e carinho que tenho por ti. Foi um grande presente pra mim ser sua aluna, cresci muito como pessoa e devo isto à senhora e às suas aulas, aos momentos fora de sala, a tudo. O aniversário é seu, mas o presente foi meu e de todas as pessoas que tiveram a oportunidade de te conhecer. Você é uma pessoa maravilhosa, sou muito fã do seu caráter, pulso firme, postura, inteligência, do teu jeito arretado que eu adoro!! Eu falo tanto de você p/ minhas amigas que elas são loucas pra te conhecer. Tenho uma amiga no recife que diz que você já é uma lenda urbana de tanto que falamos de você, kkkkkkkkkkk. Que possa haver sempre em tua vida muita luz, saúde, proteção, felicidades e paz. Te admiro muitooooooo!! Um grande abraçoo!

Marina Magalhães disse...

Van, quanto ao fato de Iemanjá ter me escolhido, posso me considerar uma privilegiada. Por que não havia pensando nisso antes? Parabéns pelos blogs e pelo belo estudo do corpo e da alma feminina. Grande beijo!

Jeh disse...

Bom texto vanuza!Muito interessante este assunto, uma vez que ja interessei por este assunto para minha monografia.
Um grande abraços e parabens novamente -pelo blog. Sou sua seguidora do blog!